Liderança – Uma Casa no Infinito

Liderança – Uma Casa no Infinito

Liderança – Uma Casa no Infinito

1080 1080 Hugo Gonçalves

A Liderança de encontrar uma Casa no Infinito.

“Casa não é o local onde nascemos ou moramos. Casa é o local onde todas as nossas tentativas de fugir ou escapar terminam e deixam de fazer sentido”.

Naguib Mahfouz

Espero que tenhas tido umas ótimas entradas e que 2020 e anos seguintes sejam anos que te proporcionam uma vida boa, alegre, descontraída e evolutiva.

Que fantástica definição de Casa. Em retrospetiva, sou um sortudo porque já tive momentos de total presença e contacto com o que a citação inicial descreve. Sozinho e com Pessoas Especiais. Conectado com o que estava a acontecer, sem pensar, sem avaliar, apenas estando e sendo.

Sendo e Estando são gerúndios, e como forma verbal e até mesmo como abordagem perante a vida a maior parte das pessoas não acha que “gerundiar” na vida seja boa estratégia :). Mas acho que de vez quando é mesmo necessário.

E para 2020, e mais uma vez parecendo-me isto como um paradoxo, aqui o Knowmad quer assentar um pouco :). Criar melhores condições para que o conceito que apresentei de “sentir em casa” seja cada vez mais regular e orgânico. Mesmo que continue com as minhas “viagens” e renovações profissionais regulares.

Paradoxo? Talvez. Complexo? De certeza. Infinito? Claro!

Ligando esta minha partilha ao “mundo” da Liderança e Organizações, um mindset infinito implica que os líderes/profissionais possam ver a sua empresa, a sua equipa, os seus produtos, os seus serviços como palcos onde ele ou ela pode manifestar o melhor de si e utilizá-los para facilitar a que os outros possam também contactar com a sua melhor versão.

Para um líder e gestor, o mindset infinito implica reconhecer e aceitar (e acredita que sei o complexo que isto é) que as regras, ideias, tendências estão sempre a mudar. Que é um campeonato sem fim.

As únicas coisas “fixas” são valores e princípios que são o core e que depois se manifestam de forma flexível.

Encontrei uma conexão destas ideias que partilho contigo com os 5 princípios chave que o Simon Sinek define no seu último livro – Jogo Infinito.

Embora não seja exatamente um fã dele, o Simon neste livro consegue de forma concreta explicar porque é que este mindset permite chegar onde outros não têm a forçar ou coragem de chegar.

A Liderança que têm consciência disto sabem que o jogo nunca acaba e têm que guiar-se por valores mais altos.

Pensam como se as ações do agora possam representar um investimento num produto financeiro onde os “ganhos” – o que quer que isso signifique para ti, eventualmente só virão daqui a 1, 5, 10, 20 anos ou nas vidas seguintes, para quem gosta e abraça o conceito :).

Aqui estão os 5 princípios do mindset infinito apresentados pelo Simon:

Causa Justa

Embora eu seja super fã do propósito e do porquê como sendo o combustível que promove a ação, identificar quem vai ser impactado por essas ações e de que forma é fundamental. A primeira e melhor Causa Justa somos nós próprios. Reflete como é que o teu papel de líder, de profissional, como é que a tua empresa pode ser um materializador de Causas Justas.

Liderança Corajosa — A poetisa e artista Mary Anne Radmacher tem uma descrição espetacular de coragem:

“A Coragem nem sempre ruge. Algumas vezes a Coragem é uma voz calma que no fim do dia diz: Amanhã vou tentar de novo”

Brutal. O mindset infinito implica priorizar as causas justas acima do resto, por mais lógico e atrativo que pareçam.

Isto implica clarividência. Implica saber o que é que é verdadeiro ou ilusões/fugas que estão contidas nos nossos pensamentos e emoções.

Desaconselho vivamente sermos líderes e profissionais corajosos sozinhos 🙂

Vulnerabilidade como Força Irresistível

Aceitar as vulnerabilidades de uma equipa deve ser algo normal. O diferencial que podes acrescentar é criares as condições para que as pessoas se sintam seguras em serem Elas Próprias. E admitirem que não sabem algo ou que precisam de ajuda. Imagina o teu dia-a-dia e o da tua empresa se as pessoas conseguissem fazer isto de forma regular…

O “Adversário Espelho”

Todos nós temos pessoas que são espelhos de quem já somos e também espelhos daquilo que é importante ser trabalhado e evoluído em nós.

São aqueles que nos picam e puxam por nós, quando às vezes nós próprios não o conseguimos fazer quando não nos vemos a nós próprios como a maior Causa Justa.

Reconhecer estes “adversários” e sermos gratos a eles é um sinal de consciência. Mas a métrica do nosso sucesso nunca, mas nunca, mas mesmo nunca 🙂 deve ser medida em comparação com a definição de sucesso desses Adversários. Isso é basicamente uma despersonalização.

Os nossos líderes, pares, concorrência, etc. puxam para que possamos ter melhores processos, produtos ou serviços. Mas no mindset infinito a Causa Justa é sermos a melhor versão de nós próprios, de forma a estarmos capazes de liderar outras Causas Justas.

Gratidão aos meus Adversários Espelho (aos que realmente o são e àqueles que percecionei assim).

Estratégia Colaborativa

Muitas organizações utilizam estratégicas fixas para lidar com contextos e ecossistemas variáveis e voláteis. Experimentemos ao contrário, manter fixas as Causas e ir navegando através dos Ecossistemas (mais uma vez o gerúndio). 🙂

Gestão da Mudança, Inovação, Transformação Organizacional são apenas nomes pomposos e catitas para algo muito simples:

Impermanência do que nos rodeia + Raízes do que somos e queremos.

Para se conseguir colocar isto em prática novos níveis de abertura, autonomia e transparência são necessários. Workplace não é só a mobília, a luz solar, os espaços de descontração. Workplace é segurança, é fluidez, é descontração, é entrega, é escuta ativa.

Estar em Casa, em Liderança, também pode ser termos perdido batalhas, mas sentir que estamos a caminhar na direção destes 5 princípios, para materializarmos as Causas Justas.

Casa + Infinito. Quais são os teus?

Abraço e Obrigado,

Hugo

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com